10 Dicas Para Abrir Um Escritório de Arquitetura ou Engenharia - Ca2

10 Dicas Para Abrir Um Escritório de Arquitetura ou Engenharia

Em cinco anos de existência a Ca2 Consultores passou de uma empresa de 1 pessoa no 1º ano para uma equipe de 25 profissionais e um faturamento de sete dígitos por ano. Nesse artigo trago dez dicas para abrir um escritório de arquitetura ou engenharia. São princípios fundamentais que eu aprendi nesses últimos anos empreendendo com a Ca2 e que eu apliquei na minha vida profissional e no meu processo de empreender e construir uma empresa de projetos.

1)Avalie bem se você precisa de um sócio.

O 1º princípio fundamental para abrir um escritório de arquitetura, engenharia ou design de interiores é : avalie bem se você precisa de um sócio.

Às vezes na empolgação de abrir um escritório nos unimos com amigos ou colegas de faculdade e formamos uma sociedade para abrir um escritório. Isso pode não dar certo, como aconteceu no meu caso por experiência própria.

Em 2015 eu iniciei a Ca2 com um sócio, porém ao longo dos anos a sociedade não deu mais certo e então em 2017 eu tomei a difícil decisão de continuar sozinho.

Aos poucos fui contratando mais pessoas e pouco tempo depois contratei 3 pessoas fundamentais que possuíam afinidade com o negócio, conhecimento técnico apurado e vontade de contribuir com a empresa. Elas são minhas forças até hoje e tocam a empresa de forma dividida comigo.

Portanto, se você optar por ter um sócio logo no início, analise se as prioridades dele ou dela estão alinhados com a sua, verifique também se a pessoa complementa as suas habilidades. O ideal é ter pessoas com habilidades diferentes para as diversas áreas da empresa. Além disso, ter um sócio só para reduzir os riscos de empreender e dividir a conta do aluguel e do salário da equipe não é um bom negócio.

Essa sequência de decisões fizeram com que a Ca2 atingisse o porte e o nível de maturidade que ela tem hoje como empresa, apenas cinco anos após o seu início.

2)Foque em construir portfólio, reputação e autoridade.

Quando se inicia uma empresa, em seu tempo disponível, você deve focar em três principais aspectos – as conexões e alianças, construir portfólios e construir reputação e autoridade. Isso não será construído da noite pro dia, portanto, não deixa a pressa te atrapalhar.  Tenha paciência e domine a ansiedade de querer fazer tudo acontecer de maneira rápida e avance um degrau por vez.

3)Terceira dica: esqueça o trabalho de segunda à sexta-feira das 9 às 18 horas.

Uma vez que você decidiu empreender você nunca vai enxergar o calendário da mesma forma.

O equilíbrio entre vida pessoal, profissional e lazer é importante. Ter esse equilíbrio bem construído na sua vida é saudável e necessário. Mas no início, quando você começa a ganhar os primeiros projetos e ainda não tem capacidade de contratar alguém para te ajudar, você vai trabalhar muito conforme a empresa vai crescendo e vai ficando mais complexa.

Então você vai ter que lidar além das questões técnicas, também com questões administrativas, financeiro, RH e marketing.

Ao abrir um escritório de arquitetura, você vai precisar se envolver em todas essas áreas e isso irá te exigir mais horas de trabalho no começo.

O equilíbrio virá, mas só após um período de intenso trabalho. É importante que você entenda e aceite isso. O outro lado da balança vem em alguns anos, depois que você consegue estruturar bem a sua empresa e contratar gente para te ajudar.

4)Dica número 4 – faça alianças ou parcerias.

Os benefícios devem ser mútuos sempre, não se constrói nada sozinho. Você precisará não só de funcionários e bons sócios, mas, também de alianças e parcerias externas com colegas de profissão e também com outros profissionais do mercado da construção civil.

Sejam parcerias com arquitetos, incorporadores, construtores e assim por diante. Faça sempre alianças honestas e justas, que sejam benéficas para ambos os lados.

5)Dica número 5 – trabalhe de graça ou quase de graça.

Essa dica é polêmica e muitos podem discordar dizendo que não podemos desvalorizar nosso trabalho e que isso é um absurdo.

Não somos nós que devemos valorizar nosso trabalho é quem paga por ele e paga bem.  Quando o mercado valoriza o nosso trabalho e enxerga valor, não é uma questão de valorizar o indivíduo pessoalmente.

Quando falamos em valorizar o trabalho, significa que o mercado paga por esse serviço e quanto ele paga, paga bem. No início ninguém te conhece como profissional, o seu portfólio e o que você é capaz de fazer e o valor que você é capaz de apontar para o projeto dele se ele não te conhece como ele vai te valorizar.

Ainda assim, para abrir um escritório de arquitetura, você precisa mostrar o seu trabalho e precisa de oportunidades para mostrar que o seu trabalho tem valor e que vale a pena pagar por ele.

Até que alguém realmente comece a pagar um preço justo. Comece cobrando pouco no início ou o suficiente para você cobrir os seus gastos fixos e te remunerar minimamente, para que você possa tocar com o seu escritório.

Em outras oportunidades, você realmente pode oferecer o seu serviço mesmo que de forma reduzida. Por exemplo: ajudando outros colegas em concursos de arquitetura e colaborando com pequenas partes para entrar em projetos. Isso acontece muito no mercado imobiliário e de maneira geral sempre que for estratégico cobrar preços simbólicos ou reduzidos para que você possa entrar no projeto, ganhar experiência e portfólio é válido e pode ser uma boa maneira de engrenar o negócio.

Entenda que isso não te diminui como profissional. O mercado é implacável e ninguém vai te contratar sem você demonstrar que faz um bom serviço. Até que, em algum momento o mercado vai te dar sinais de que está preparado para te contratar e pagar um valor justo.

6)Dica número 6 – seja vendedor 24 horas por dia, sete dias por semana, mas não seja o chato.

Arquitetos, engenheiros e designers de interiores costumam ter um foco muito técnico e muitos dizem não ter vocação e  nem querem se envolver com as vendas.

A verdade é que você vai ter que aprender e enfrentar. Não adianta ficar esperando o telefone tocar por conta própria, porque ele não vai tocar. E também não ache que isso se resolve quando contratar alguém de vendas. Se sua venda é técnica é uma venda consultiva. Então contratar alguém para vender que não seja da área e não tem experiência em fazer o projeto, não é uma boa ideia.

Existem empresas que fazem isso, mas na Ca2, todos os sócios são técnicos e são responsáveis por prospecção e vendas.  Ou seja, precisamos ter um conhecimento técnico para vender o nosso serviço. Se envolva com o processo de prospecção comercial, você precisa bater na porta de clientes e contatar clientes que você não conhece. Fazer o “Cold Call”,  se apresentar, apresentar o seu portfólio e solicitar oportunidades para apresentar seu trabalho em reuniões para grandes empresas.

Para abrir um escritório de arquitetura e fazer com que sua empresa prospere, você precisa fazer essa dinâmica de prospecção constantemente, é o que eu chamo de ser um vendedor 24 horas por dia sete dias por semana. É importante estar atento às oportunidades e agir de acordo com elas, você não pode ser o vendedor chato e no nosso mercado está cheio de vendedores chatos.

O vendedor chato é aquele que só fala sobre si, só fala sobre a empresa e sobre  o quanto ele é bom, o quanto é melhor que os concorrentes. É aquele que fica tentando te convencer a contratar em momentos que não condizem com a situação, em momentos até inapropriados como em uma conferência . Você precisa escutar muito e entender o que tá acontecendo para depois estabelecer uma estratégia de ataque de prospecção certeira com o cliente

7) Dica número 7 – Cuide bem da sua marca

Uma marca é um conjunto de expectativas e memórias, histórias e relacionamentos que somados são responsáveis por fazer o consumidor escolher um determinado produto ou serviço.

Você precisa ser uma marca, ainda que você seja um profissional autônomo. Ao abrir um escritório de arquitetura, você não precisa contratar um profissional de marketing no mesmo momento.

Na Ca2 nós temos sim uma profissional de marketing que cuida do nosso branding, além de outras coisas e era o momento certo de contratar. Eu valorizo muito o marketing, então nós temos uma pessoa fixa internamente para fazer isso, mas no começo você não terá verba para contratar uma empresa ou um profissional que cuide da sua marca.

Comece fazendo isso sozinho e foi exatamente isso o que eu fiz. Na Ca2 eu cuidei de tudo relacionado à marca, durante 2 anos, até que eu tive a possibilidade de trazer alguém fixo para reformular e cuidar da nossa marca ao longo do tempo.

No início você pode criar um logo e um site agradável, de fácil navegação, existem sites excelentes para isso. Compre um domínio próprio, não use wordpress ou wix.com na sua url.  Você não pode usar um e-mail @gmail, pois isso não passa profissionalismo. Com essas dicas simples, já será um bom começo para se mostrar como profissional para o mercado.

Outros detalhes como a assinatura eletrônica do seu e-mail, precisará estar padronizada e profissionalizada. Com um pequeno investimento você pode pagar por construtores de sites.

A sua marca tem que ser transmitida em todas as suas comunicações, sejam elas as técnicas ou não técnicas. Cuidando bem da sua marca, aos poucos ela começa a ficar reconhecida.

8) – Seja um criador de conteúdo

Criação de conteúdo para redes sociais faz parte de uma estratégia bem-sucedida de marketing e branding. Hoje em dia, quem não produz conteúdo para redes sociais, basicamente não tem voz para o mercado.  Você precisa se comunicar para o mercado e falar sobre os assuntos que você domina e mostrar autoridade.

Para abrir um escritório de arquitetura ou engenharia você deve encarar a criação de conteúdo como parte fundamental do seu trabalho e não como uma atividade paralela ou lateral.

Essa é uma atividade que você precisa se dedicar constantemente para que ela faça efeito. Não adianta você publicar um único artigo e achar que ele vai bombar e vai chover de clientes. Além de qualidade, você precisa de consistência para que você seja notado.

Vejo muito no LinkedIn, principalmente em perfis de empresas de projeto de arquitetura, engenharia ou consultoria, publicando apenas propagandas e isso não é o que as pessoas querem ler nas redes sociais.

Marketing de conteúdo não é aquele post que você apresenta a sua empresa. Propaganda é chato e ninguém gosta de propaganda, ou você está na rede social buscando informação ou entretenimento. Marketing de conteúdo é uma estratégia de focada em produzir e distribuir conteúdo relevante para o público-alvo no momento em que ele mais precisa.

O conteúdo precisa atender a intenção de busca do usuário e transformar o processo de compra em algo natural,  ao consumir a informação produzida pela marca, o consumidor pode descobrir desejos ou dores e assim depositar sua confiança na marca.

Por exemplo, se você arquiteto é bom de vídeo, você pode criar um canal no Youtube e fazer um vídeo sobre revestimentos de fachada que dão menos manutenção.

Eventualmente, o incorporador pode assistir seu vídeo e entrar em contato para uma consultoria. Você pode escrever um artigo no seu blog ou no Linkedin, por exemplo, comentando os diferentes tipos de sistemas estruturais e os prós e contras de cada tipo de sistema.

9) Aceite de uma vez por todas: é impossível ter sucesso sem o risco de empreender

A 9ª dica para abrir um escritório de arquitetura é : você precisa aceitar que existem riscos associados ao seu negócio. Por exemplo, em algum momento, quando o seu volume de trabalho começar a crescer você vai cogitar contratar uma pessoa. Essa pessoa vai precisar de um salário e ela não vai querer saber se tem ou não tem faturamento no mês. Por medo de não ter dinheiro para pagar a luz no fim do mês ou  eventualmente ter que tirar do próprio bolso, muitos acabam não fazendo essa primeira contratação.

Mas, se essa pessoa passar anos sem contratar ninguém, ficará difícil entregar qualidade para todos os clientes.  E aí não consegue crescer, porque você estará calculando, desenhando ou  resolvendo problemas

Depois que eu aceitei esse risco, o negócio deu certo porque eu consegui contratar as pessoas certas. A partir daí a empresa cresceu e depois eu recuperei esse dinheiro.

Você pode passar anos pensando em pedir demissão do seu atual emprego para abrir seu escritório e não avançar por medo do risco de não dar certo ou de não conseguir uma remuneração adequada. Nos primeiros anos, você não vai conseguir uma remuneração igual a que você tinha no seu trabalho, isso leva um tempo para acontecer.

É impossível empreender sem risco, o que você precisa fazer é saber identificar esse risco e agir para que ele não se concretize. Aprenda a gerenciar o risco, do contrário não pense em empreender, porque sempre haverá risco.

10 ) A grana é rei

Saiba a importância de ter um fluxo de caixa positivo e manter a saúde financeira geral de uma empresa.

Fluxo de caixa é, basicamente, receitas menos despesas. Estude o que tem no banco, ainda que você seja um profissional técnico e que não goste de ver as finanças ao abrir o seu escritório.

Você precisa se envolver com isso e não pode delegar isso pra alguém.  O que você pode delegar é o dia a dia das finanças, do contas a pagar por exemplo.

Você como dono precisa se envolver e manter um fluxo de caixa saudável (uma empresa com dinheiro na conta e sem dívidas).

Eu sempre fui obcecado por manter o fluxo de caixa, mas nem sempre foi possível mantê-lo positivo, principalmente no início. Acontecia de ter prejuízo em um mês, e isso é comum quando a empresa começa a ficar mais complexa, surgem gastos de aluguel, salário.

Por isso, nunca deixe de prever nos seus contratos um cronograma de pagamento com parcelas intermediárias bem distribuídas.

Se os clientes vão te pagar um montante só no final da entrega, isso vai prejudicar o seu fluxo de caixa.

Um bom fluxo permitirá que você consiga segurar os gastos ao longo do tempo. É legal também estabelecer um pagamento de sinal por contrato. Você também não pode ter medo de cobrar o cliente, terminou uma etapa prevista no cronograma de pagamentos, você precisa ligar , afinal, você tem contas a pagar

Em caso de inadimplência comunique ao cliente que está interrompendo o trabalho. E isso deverá estar previsto em contrato.

Não é agradável lidar com isso, mas é fundamental para o sucesso de uma empresa.

Dica bônus – 11  – Ética não faz curva

Acho que essa frase já fala por si só, mas eu vou explicar. Absolutamente tudo o que você fizer deve ser embasado em princípios éticos. Parece óbvio, mas sem esses princípios éticos muito bem solidificados, você vai criar uma má reputação no mercado e ninguém vai te contratar.

Ao abrir um escritório de arquitetura, lembre-se : ética não é  uma virtude, é obrigação. Ter ética é um mínimo básico que você precisa para viver em sociedade e operar comercialmente.

Por exemplo, a Reserva Técnica – RT praticada por muitos arquitetos, designers de interiores e talvez entre os engenheiros também é algo tido como normal e aceito e portanto supostamente ético. Porém, não é nem ética e nem legal. Reserva técnica é o nome pelo qual ficou conhecido a comissão financeira paga por fornecedores de produtos e lojistas pela indicação junto a clientes da área da construção. Essa prática cresceu muito nos últimos anos e em alguns lugares tornou-se comum. Basicamente, isso é um tipo de propina, é o fornecedor pagando uma propina para o arquiteto, engenheiro ou designer especificar aqueles produtos daquela loja.

Até 2010 essa prática foi considerada legal apesar de já ser vista como algo antiético por parte do mercado. Depois de 2010 entra em vigor a lei  12378/2010 que classificou a RT como um ato ilegal. A proibição da reserva técnica também é reforçada pelo código de ética e disciplina e prevê que o arquiteto urbanista deve recusar-se a receber sob qualquer pretexto, comissão gratificação ou vantagem de qualquer natureza. Na consultoria, o arquiteto, engenheiro e designer precisa especificar aquele material ou produto que é melhor para o seu cliente e não aquilo o que o seu parceiro que lhe paga.

Reserva técnica é além de ilegal, antiético, ainda que o mercado ache que é uma prática “Ok”.

Sendo antiético, você vai desenvolver uma péssima reputação no mercado e ninguém vai te contratar para nenhum projeto. Comportamentos antiéticos não se escondem debaixo do tapete por muito tempo.

Esses foram os 10 princípios fundamentais que eu aprendi e apliquei nos últimos anos na minha empresa.  Se você se interessa conteúdos sobre conforto ambiental e sustentabilidade na arquitetura, confere o canal: Consultoria com Marcelo Nudel.

Nos siga nas redes sociais: Instagram ca2 linkedin ca2 facebook ca2 youtube ca2 pinterest ca2

Cadastre-se para Receber Nossos Conteúdos e Novidades.

Ao se inscrever você concorda com a nossa Política de Privacidade

* indicates required