A Importância do Estudo dos Ventos Na Arquitetura

Acompanhe a Ca2
Facebook
YouTube
Pinterest
Pinterest
LinkedIn
Instagram

Desconsiderar o “estudo dos ventos” ao projetar uma construção pode causar problemas de desconforto aos usuários ou em casos mais graves, até problemas estruturais;

Vento

O vento basicamente é definido como um fenômeno meteorológico causado pela movimentação do ar na superfície atmosférica.

A pressão atmosférica em diferentes níveis e outros fatores como: os movimentos naturais de rotação da terra, a topografia, evaporação, entre outros, também provocam o deslocamento das massas de ar.

Geralmente a velocidade dos ventos é dividida em uma “parte flutuante” (rajadas) e uma parte constante.

Grau Velocidade do vento V (10min) (10m)

(km/h) (m/s)
Descrição do Vento – Efeitos devidos ao vento
0 <1 <1,5  Calmaria A fumaça eleva-se verticalmente
1 1 –6 0,3 –1,6 Aragem A fumaça inclina-se, indicando direção e sentido do vento.
2 6–12 1,6 –3,3 Brisa Sente-se o vento nas faces. Folhas agitam-se suavemente.
3 12–20 3,3 –5,4 Vento Suave Movem-se as folhas das árvores.
4 20–29 5,4 –8,0 Vento moderado  Movem-se pequenos ramos. O vento estende as bandeiras. O cabelo é completamente despenteado.
5 29–39 8,0 –10,7 Vento Regular  Movem-se os ramos maiores.
6 39–50 10,7 –13,8 Vento Forte Galhos e arbustos grandes em movimento.
7 50–62 13,8, –17,1 Ventania Fraca Flexionam-se galhos fortes. Danos a coberturas mal construídas. O vento é ouvido em edifícios.
8 62–75 17,1 –20,7 Ventania Moderada Difícil caminhar. Galhos finos quebram-se. Troncos das
árvores esbeltas oscilam.
9 75–85 20,7 –24,5 Ventania Forte Objetos leves são deslocados, quebram-se arbustos e galhos grossos, avarias em chaminés.
10 88–102 24,5 –28,4 Vendaval Arvores Arvores são arrancadas em grande número. Danos a plantações. Postes tombados.
11 102–120 28,4 –33,3 Tempestade Danos generalizados e severos
12 >120 >33,3 Furacão/Tufão Extremamente severo e devastador com danos ainda mais importantes que o causado por tempestades.

Fonte: Tabela 2.l: Escala Beaufort [3]  (Edisciplinas.usp)

Efeito dos Ventos nas Edificações

A ação do vento é dinâmica, ou seja sua velocidade varia conforme o tempo, e esse comportamento não deve ser ignorado.

Essa ação dinâmica é maior conforme a altura do edifício. Portanto, em um contexto em que são construídos tantos “arranha-céus”, o estudo de ventos torna-se essencial ( mas não só nesses casos).

Como o vento é um fenômeno natural instável e possui variações de velocidades (como as rajadas de vento), os edifícios precisam de estudos mais avançados e da ajuda de simulações computacionais.

Qual a importância de desenvolver o “estudo dos ventos” para os seus projetos?

Além de afetar as estruturas, os ventos podem prejudicar o uso das edificações.

Para cada atividade existe um limite ideal de velocidade de ventos que incide sobre o indivíduo.

Ao exceder esse limite, o vento causa o que chamamos de desconforto mecânico.

Certas atividades humanas permitem velocidades mais altas de vento, enquanto outras necessitam de calmaria.

Exemplo: é desagradável almoçar num restaurante ao ar livre com ventos de velocidade superior a 2m/s, mas é totalmente confortável caminhar no parque quando a velocidade dos ventos chega à 6m/s.

Simulações Computacionais Para o Estudo Dos Ventos

É possível prever a ocorrência e velocidades de ventos em empreendimentos imobiliários através de simulações computacionais.

São mais ágeis e mais baratas do que estudos em túneis de vento, além de permitirem a análise de diversos cenários de projeto, mantendo plena a confiabilidade dos resultados.

A Computational Fluid Dynamics (CFD) é uma ferramenta poderosa para calcular o comportamento das estruturas em casos práticos.

A simulação acima foi desenvolvida para o empreendimento “Brookfield Towers”.

Para esses estudos, foram desenvolvidas análises do clima e do entorno.

O Referencial de desempenho usado para se avaliar conforto mecânico de ventos é a Escala Beaufort.

Ventos de até 5m/s são adequados para atividades externas sem desconforto mecânico perceptível. Com essa velocidade, pessoas sentem o vento no rosto e as folhas das árvores mexem.

Simulamos um modelo CFD (Dinâmica de Fluidos), em que foram consideradas as direções Norte, Nordeste, Leste, Sudeste, Sul, Sudoeste, Oeste e Noroeste e utilizadas as maiores velocidades do ar na região para cada direção.

O entorno imediato também foi incluído no modelo geométrico.

Saiba Mais Sobre as Simulações Computacionais Clicando Aqui.

Acompanhe a Ca2
Facebook
YouTube
Pinterest
Pinterest
LinkedIn
Instagram