O que é temperatura de cor? - Ca2

O que é temperatura de cor?

Por definição, temperatura de cor de uma fonte de luz é a temperatura que um corpo negro irradia conforme é aquecido. Logo, a unidade de medida desta grandeza é Kelvin (K). Em resumo, a temperatura de cor é basicamente uma característica da luz visível.

Trata-se da “aparência” da cor produzida por uma fonte de iluminação.

Esta relação com a medição da temperatura de cor versus aquecimento do corpo negro comumente confunde as pessoas.  Alguns acham que cores mais frias possuem temperaturas mais baixas, mas é exatamente ao contrário. Por exemplo, embora a luz azul seja considerada “fria”, ela tem mais Kelvins do que a luz amarela, que é considerada “quente”.

A luz solar é a nossa principal fonte e tendo ela como base podemos perceber que a sua temperatura sofre variações  de “cor” durante o dia.  Ao meio dia por exemplo a luz é mais branca ou fria, tendo por volta de 5500K. Já no início da manhã e no final da tarde, a luz emitida pelo sol tem uma aparência mais “quente”.

fonte gráfico: https://www.lightingdesignlab.com/resources/articles/articles-lighting-fundamentals/color-temperature

Conforme mostra o gráfico acima, fontes de luz que têm “aparência” mais alaranjada estão em torno de 3500k ou menos, lâmpadas neutras ou intermediárias, variam entre 3500k a 4100k. Já lâmpadas mais “azuladas” ou frias, têm 4100k ou mais de temperatura.

Iluminação além de estética , é sensação

Agora que já falamos sobre as classificações da iluminação como “quentes, neutras ou frias”, vamos entender um pouco melhor em quais situações devemos usar cada uma delas.

quarto com iluminação aconchegante

(As arquitetas Bárbara Gomes e Giulliana Savioli,  criaram o Loft SP na CASACOR São Paulo, pensando em um casal urbano- Foto: Caio Amaral Falcão)

A luz tem grande influência no que chamamos de “ritmo circadiano”, também popularmente conhecido como “relógio biológico”. É o período de 24h sobre o qual se baseia o nosso organismo. Isso significa que o nosso corpo se comporta de maneiras diferentes que variam ao longo do dia – em ciclos.

Quando vai chegando o horário do pôr-do-sol – fatores como a emissão de uma “luz mais quente”, estimula a produção de melatonina, hormônio responsável, entre outras coisas,  pela regulação do sono, mostrando que o período de descanso se aproxima.

Já a luz branca ou azulada suprime a produção desse hormônio, consequentemente mais estimulante. Sendo esta temperatura de cor típica ao sol do meio-dia, um horário de alta atividade, e assim nosso organismo tende a ficar mais “elétrico”, com a energia necessária para produzir e desenvolver as atividades do dia-a-dia.

É por esse motivo que pessoas tendem a assimilar os tons quentes como sendo acolhedores e os tons mais frios como excitantes. 

(ilustração do ciclo circadiano: http://www.petquimica.ufc.br/o-ritmo-circadiano-o-conhecimento-que-pode-salvar-vidas/)

Em escritórios ou hospitais por exemplo (locais de atividades que exigem alta atenção e energia) normalmente são usadas fontes de luz  com temperaturas de cor neutras ou frias. Ajudando a manter os profissionais desses locais “em alerta/ atenção”. Já em residências, a aplicação de temperatura de cor amarelada é indicada, com o objetivo de proporcionar ambientes mais aconchegantes.

iluminação em escritório

Imagem : http://www.blog.lumepetro.com.br/conheca-o-modelo-ideal-de-luminaria-led-para-seu-escritorio/

A Iluminação e a Arquitetura

No campo da arquitetura é essencial olhar para essa característica das fontes de luz e usá-las de modo adequado para cada tipo de ambiente. Se olharmos além da estética, vamos compreender que a escolha de um determinado tipo de luz (focando principalmente na característica de temperatura de cor)  vai depender do tipo de sensação necessária a cada ambiente ou atividade.

Esta questão é tão relevante, que hoje no mercado existe uma grande oferta de produtos com diferentes temperaturas de cor na mesma luminária. Podendo ainda estar conectado com sistemas de automação, reproduzindo a tonalidade da luz no presente momento do dia. Essa ferramenta é importante considerando a arquitetura corporativa atual e a extensa jornada de trabalho comum nos escritórios das grandes cidades.

Eficiência Energética

A temperatura de cor não tem relação com o consumo de energia da fonte de luz . O que irá interferir se esta  irá consumir mais ou menos energia é a sua potência (medida em Watts) .

A quantidade de luz emitida entre as fontes, sejam elas quentes ou frias, é praticamente a mesma. Algumas pessoas podem ter a falsa percepção de que uma luz mais azulada ou branca irá iluminar mais um ambiente, mas isso é um mito. A intensidade luminosa é a mesma,  bem como a iluminância resultante de sua aplicação. Mas em termos de “luminosidade” a luz branca  exige menor “esforço” para algumas atividades que exigem mais do olho humano, como a leitura, o trabalho, e etc.

Fonte: Lighting Design Lan

Fonte Imagem Destaque: Clique Arquitetura/ Pixabay

Se quiser Saber Mais Sobre o Serviço de Luminotécnica, clique aqui.

Acompanhe a Ca2
Facebook
YouTube
Pinterest
Pinterest
LinkedIn
Instagram