Como Funcionam as Simulações Lumínicas (NBR 15.575) -

Como Funcionam as Simulações Lumínicas (NBR 15.575)

Os requisitos de desempenho lumínico estabelecidos na norma brasileira de desempenho de edificações residenciais (NBR 15.575) tem como objetivo garantir o nível de qualidade das edificações e proporcionar maior conforto aos usuários. Esses requisitos são muito simples de compreender, a avaliação de atendimento aos critérios pode ser feita pela medição in loco ou por meio de simulações.

As simulações computacionais consideram o projeto, conforme sua geometria e características dos revestimentos internos e externos, assim como os eventuais sombreamentos resultantes de edificações vizinhas, taludes, muros e outros possíveis anteparos. É fundamental que o modelo utilizado nas simulações represente de forma mais fiel possível as condições geométricas do projeto e seu entorno, pois elas irão impactar na reflexão e distribuição da luz natural nos ambientes.

Para isso, nós utilizamos o software Rhinoceros na modelagem e para as simulações, o plug-in Honeybee que utiliza a metodologia de cálculo do software Radiance, um dos mais avançados e utilizados pelas grandes empresas de consultoria e engenharia do mundo.

 

A norma de desempenho estabelece que as simulações deverão ser realizadas para o plano horizontal, em períodos da manhã, às 9h30, e da tarde, às 15h30, respectivamente para os dias 23 de abril e 23 de outubro. As simulações devem considerar a latitude e longitude do local da obra e supor condição climática de céu parcialmente encoberto.

Contando unicamente com iluminação natural, os ambientes analisados (dormitórios, salas, cozinhas e áreas de serviço) deverão atingir para o centro dos ambientes, na altura de 0,75m acima do nível do piso, pelo menos 60 lux para os quatro períodos avaliados. Para dependências situadas no térreo ou pavimentos abaixo da cota da rua, são permitidos níveis de iluminância ligeiramente inferiores aos estabelecidos, mas essa diferença máxima não deve ultrapassar 20% do nível mínimo estabelecido para os demais pavimentos.

As análises consideram as diferentes tipologias do projeto em seu pavimento mais baixo, pois este, representará a condição mais crítica do ponto de vista da iluminação natural. Assim, se a tipologia em pior condição atender aos requisitos mínimos, pressupõe-se que os demais pavimentos idênticos a este, em melhor condição, também atenderão.

Os modelos tridimensionais utilizados nas simulações buscam representar de forma mais fiel possível as características geométricas, orientação geográfica, dimensionamento e posição das aberturas e rugosidade e cores dos elementos (paredes, tetos, pisos etc.).

Os resultados são apresentados por meio de gráficos de distribuição da iluminância para cada um dos períodos avaliados e do nível de iluminância, em lux, para o centro dos ambientes.

Uma vez não atendido os requisitos de desempenho mínimo, indicamos possíveis soluções para obtenção ou melhoria no desempenho lumínico das edificações. Como, por exemplo, utilizar cores claras no teto, pisos, paredes internas ou fachadas. Há também a possibilidade de ampliar as áreas envidraçadas ou sugerir outras opções de vidro, de maior transmissão luminosa. 

Os recursos que interferem na quantidade de radiação solar transmitida ou absorvida pela envoltória devem ser avaliados conjuntamente ao desempenho térmico, uma vez que irão impactar nos ganhos de calor da edificação e podem comprometer o atendimento aos requisitos mínimos para o item de térmica. 

Nossa metodologia envolve uma simulação inicial conforme o projeto, e caso o empreendimento não cumpra os requisitos mínimos, são propostas estratégias de melhoria observando as capacidades técnicas e orçamentárias do cliente, buscando também preservar o partido arquitetônico da edificação. Compatibilizadas as soluções, é realizada uma simulação final comprovando que o empreendimento cumpre os requisitos de desempenho, concluindo o processo de avaliação com a emissão do registro de responsabilidade técnica e um laudo para o incorporador.

Para saber mais sobre a NBR 15575, clique aqui.

Imagem Destaque: Solaz Vila Mariana –  Análise de Conforto Térmico, Lumínico e Acústico – Ca2 Consultores

Nos siga nas redes sociais: Instagram ca2 linkedin ca2 facebook ca2 youtube ca2 pinterest ca2

Cadastre-se para Receber Nossos Conteúdos e Novidades.

Ao se inscrever você concorda com a nossa Política de Privacidade

* indicates required