Mudanças nos Critérios de Desempenho Térmico - NBR 15575 (2021) - Ca2

Mudanças nos Critérios de Desempenho Térmico – NBR 15575 (2021)

NBR 15575 é uma norma que trata do desempenho de edificações habitacionais, ela traz requisitos mínimos de qualidade, durabilidade, segurança e desempenho para as construções habitacionais brasileiras. Dentro desses requisitos, há exigências para desempenho térmico, lumínico e acústico.

A normatização desses padrões é de extrema importância, pois viabiliza a qualidade nas construções e traz segurança aos habitantes. A norma foi publicada em diário oficial em fevereiro de 2013 e sua aplicação passou a ser obrigatória em julho desse mesmo ano.

Para corrigir algumas limitações da norma dentro dos requisitos de desempenho térmico, foram feitas revisões e atualizações.

Em 2020, o novo texto foi recebido pela comissão de estudos da ABNT e ficou disponível em consulta nacional no período de 17 de novembro até 16 de Dezembro.

Mudanças nos Critérios de Desempenho Térmico ( NBR 15.575)

No dia 30/03/2021 foram publicadas as seguintes emendas com o objetivo de complementar a 15575-4 de 2013:

O restante permanece inalterado.

Tiveram importantes atualizações nas partes acima mencionadas (1,4 e 5), uma delas é referente aos procedimentos de avaliação de desempenho térmico ( método da simulação e método simplificado)

Esquema produzido por LabEEE

No procedimento simplificado que avalia o desempenho térmico mínimo, houve a inclusão da parte 4 “Elementos transparentes”. Essa parte da norma, limita a área de superfícies transparentes, em ambientes de permanência prolongada (dormitórios e salas) em relação à área de pisos. Essa nova proporção considera também fator solar de vidro, elemento sombreador horizontal ou etiqueta de esquadria (ABNT NBR 10821).

A emenda também inclui como recomendação a degradação da absortância à radiação solar, fazendo a indicação de procedimentos para medição e valores obtidos em campo. Isso significa um avanço, pois considera a alteração de propriedades térmicas que materiais podem sofrer em decorrência da ação do tempo.

Já no método da simulação , há diversas adições nos  como:

  • Avaliação da edificação com e sem ventilação natural – considerando a influência das estratégias de ventilação natural e o valor da carga térmica a ser retirada para estabelecer o conforto térmico, quando a ventilação for insuficiente;
  • Realização de simulações anuais ao invés de dias típicos e críticos;
  • Consideração da fase de uso e operação do edifício, já que cargas térmicas internas sofrem mudanças por questões como iluminação, equipamentos e pessoas;
  • Janelas operáveis, considerando o fluxo de troca de ar e as informações do arquivo climático, como a velocidade e direção do vento;
  • Será considerado um modelo de referência para comparar com o edifício projetado;
  • Os sistemas de ar condicionado serão considerados nos cálculos de carga térmica;
  • Avaliação do desempenho térmico considerando novos indicadores: carga térmica total (CgTT), temperatura operativa anual máxima e mínima de UH (Tomáx e Tomin) e percentual de horas de ocupação dentro de uma faixa operativa (PHFT).

Também foi divulgado no dia 30/03/2021 o relatório técnico do arquivo bioclimático:

A partir de quando devem ser considerados os novos critérios?

A versão atual deverá ser utilizada em projetos que foram protocolados para aprovação no órgão competente pelo licenciamento, a partir de 180 dias após a data da publicação da norma atualizada (30/03/2021) .  Em qualquer outro caso, antes ou em até 180 dias da publicação, deverá ser utilizada a versão anterior.

Fonte: LabEEE

Imagem destaque – Arbo Even – Projeto de consultoria Ca2 Consultores – desempenho térmico e lumínico (NBR 15575).

Leia também:  NBR 15.575- O que é e quais são os requisitos da norma

Nos siga nas redes sociais: Instagram ca2 linkedin ca2 facebook ca2 youtube ca2 pinterest ca2

Cadastre-se para Receber Nossos Conteúdos e Novidades.

Ao se inscrever você concorda com a nossa Política de Privacidade

* indicates required