O Que Há de Mais Moderno na Iluminação ? Conheça As Tecnologias - Ca2

O Que Há de Mais Moderno na Iluminação ? Conheça As Tecnologias

Não é novidade dizer que a tecnologia traz grandes transformações e avanços em diversas áreas. No campo da luminotécnica já foram desenvolvidas diversas tecnologias capazes de auxiliar na otimização da iluminação nos espaços.

Quando falamos em otimização, podemos destacar a funcionalidade e a eficiência energética. De acordo com um relatório da IHS Technoloy, as tecnologias na iluminação farão com que haja uma drástica redução no consumo global de energia elétrica nos próximos anos ocasionada pela criação de lâmpadas mais eficientes. Projeta-se uma redução de 24% para este ano de 2020 em relação ao ano anterior. (Fonte: Fad Tech 4u)

(Foto: Pixabay)

Esses dados da pesquisa consideram que apesar de um crescente aumento no número de lâmpadas produzidas, ainda assim, o uso de eletricidade será reduzido.

“A queda no consumo de eletricidade na iluminação está sendo impulsionada pelo banimento sistemático de  fontes de luz e lâmpadas ineficientes – principalmente incandescentes – em países do mundo todo”, diz William Rhodes, diretor de pesquisa de iluminação da IHS. “Quando essas proibições começarem a vigorar, consumidores e empresários substituirão suas lâmpadas por tecnologias mais eficientes em termos de energia, como a tecnologia LED”. (Fad Tech 4u)

LED (light-emitting diode)

Na citação acima, William Rhodes menciona a tecnologia LED. LED (light-emitting diode) é um dispositivo semicondutor que emite luz quando uma corrente elétrica passa por ele. Basicamente, são pequenas fontes de luz que se encaixam facilmente em um circuito elétrico, diferente de outros tipos de luz como as incandescentes, elas consomem menos energia elétrica e não esquentam com a mesma facilidade.

Na lâmpada LED, as partículas se combinam no material semicondutor e transportam a corrente para emitir luz.  Esses dispositivos produzem luz através do movimento de elétrons em um material semicondutor. Outras tecnologias como as lâmpadas incandescentes, de halogéneo de tungstênio usam filamentos aquecidos, e as lâmpadas fluorescentes usam descarga de gás.

Além das vantagens que mencionamos acima, (reduzido consumo energético e menor aquecimento), a tecnologia LED tem vida útil significativamente  maior quando comparamos com lâmpadas comuns. A eficiência do LED é a maior vantagem de todas elas, ou seja, a quantidade de luz visível emitida por Watt consumido é maior.  Isso ocorre porque em lâmpadas incandescentes ou de vapor metálico, a produção de luz envolve a geração de muito calor, assim, parte da energia é “desperdiçada” nesse processo, não sendo destinada diretamente para a produção da luz visível.

No LED, a energia é destinada em sua maior parte para a produção de luz, por esse motivo, o LED é de fato considerada uma tecnologia mais eficiente para iluminar ambientes.

Quando a tecnologia surgiu, o preço era mais alto, mas com o passar do tempo foram surgindo diversas opções no mercado e o LED se tornou uma opção de iluminação mais acessível. Atualmente a tecnologia ganha cada vez mais espaço no mercado, sendo comum projetos utilizando somente led como fonte de luz.

Além de todas estas vantagens técnicas, o led também revolucionou o design de produtos. Devido ao tamanho desta fonte de luz, as possibilidades na criação de luminárias foram ampliadas, assim como a incorporação de luz em mobiliários ou na própria arquitetura de um projeto. 

Internet das Coisas no Contexto da Iluminação

Em um outro artigo, sobre temperatura de cor, mencionamos que hoje no mercado existe uma grande oferta de produtos com opções de diferentes temperaturas de cor em uma mesma luminária. A iluminação pode ainda estar conectada com sistemas de automação, reproduzindo a tonalidade da luz mais eficiente em um determinado momento do dia.

(Foto: Taliana Cabrera)

A internet das coisas refere-se à conexão de objetos utilizados no dia-a-dia, através de hardwares e softwares, oferecendo conectividade e sistemas inteligentes a diversos tipos de aparelhos, que agora são capazes de realizar transmissão de dados. Se a sua geladeira, televisão e aquecimento,por exemplo, podem se conectar à internet, o seu sistema de iluminação também pode.

Quando falamos de “internet das coisas” no contexto da iluminação, podemos citar uma série de soluções e inovações já existentes no mercado. Um sistema de iluminação que utiliza a “internet das coisas” permite que haja conectividade entre diversos aparelhos. Isso significa que um dispositivo conectado a um sistema é capaz de se “comunicar” com outros dispositivos.

Esses sistemas inteligentes, não dizem respeito apenas ao controle remoto dos usuários, mas principalmente, permitem que os objetos realizem a coleta, análise e processamento de dados. Desta forma um sistema de iluminação consegue “entender” por exemplo como o seu uso pode ser mais eficiente. Ajustes como: o brilho, temperatura de cor, cor da luz podem ser realizados de acordo com a hora do dia. Logo, com esses ajustes, podemos dizer também, que o sistema inteligente de iluminação pode trazer ganhos na produtividade, saúde e bem-estar dos usuários nos espaços.

(Foto: Needpix)

O custo da automação, antes muito elevado, também vem sendo reduzido, tornando-se um investimento cada vez mais viável.

“A iluminação inteligente representa um bom investimento. Kishore Manghnani, co-fundador e CEO daOrama , em San Mateo, Califórnia, disse que as equipes podem economizar até 60% nos custos do projeto imediatamente. Davito observou que mais 10 a 20% em economia pode ser obtida por causa dos controles de iluminação aprimorados e outros 15 a 25% em despesas reduzidas de operação e manutenção. Sem contar a eficiência energética aprimorada dos LEDs em relação às fontes convencionais “(Fonte: Arch Lighting)

Gostou do artigo ? Inscreva-se na nossa news.

Confira nossos conteúdos sobre Luminotécnica

 

Acompanhe a Ca2
Facebook
YouTube
Pinterest
Pinterest
LinkedIn
Instagram