Ventilação Natural - Ca2

Ventilação Natural

O que é Ventilação Natural?

A ventilação natural é uma estratégia essencial da arquitetura bioclimática. 

O vento é um recurso disponível na natureza, gratuito, renovável, saudável e infinito. Sua utilização em ambientes construídos contribui para o conforto térmico e para a melhora da qualidade do ar.  O uso inteligente desse e de outros recursos naturais como a água, a luz natural, ou a energia, torna uma construção integrada com o meio ambiente e muito mais sustentável e eficiente. Além do impacto positivo à natureza , essas estratégias proporcionam um ambiente confortável e saudável pela melhora de diversos aspectos, como a qualidade do ar.

Benefícios da Ventilação Natural

A ventilação natural nos ambientes construídos é uma técnica dentro das estratégias projetuais que contribui para o conforto ambiental. 

E já dissemos por aqui algumas (talvez muitas) vezes,  que o conforto ambiental deve ser um item obrigatório quando levamos em consideração o clima tropical do nosso país.

Não observar esses fatores que afetam o conforto faz com que o uso de ar-condicionado seja obrigatório, e por consequência trará ineficiência energética ao projeto e causará alto impacto ambiental pelo excesso energia consumida.

Além disso, em locais com pouca ou nenhuma ventilação natural, tendemos a nos sentir em situação de “mal-estar”. A sensação de estar em um local “fechado” e “abafado” não é nada agradável ao ser humano.

Podemos dizer então que além de contribuir para o conforto térmico, uma ventilação natural eficiente é capaz de

  1. melhorar a qualidade do ar
  2. reduzir o consumo energético
  3. tem contribuição benéfica para a saúde e  o bem-estar.

A ventilação natural é uma estratégia essencial na arquitetura bioclimática. Esse processo retira e fornece o ar de um espaço externo para o interno de forma natural, sem a utilização de sistemas mecânicos.

Essa troca de ar constante aumenta a qualidade do ar interno e torna o ambiente saudável e confortável. Além disso, a ventilação natural reduz o consumo de energia elétrica e aumenta a eficiência energética ao tornar menos necessário o uso de aparelhos como o ar-condicionado.

O fluxo da troca do ar também é responsável pela retirada de toxinas e também elimina o ar quente. Através disso, a ventilação promove a melhoria do conforto térmico e da qualidade do ar. Esse processo diminui o risco da proliferação de doenças, fungos. mofo e bactérias ao retirar parte da umidade no interior das edificações.

Técnicas de Ventilação Natural

Existem várias formas na arquitetura de permitir a entrada de ar fresco nas construções. Podemos cita como exemplo, a utilização elementos vazados na fachada, que além de permitirem a ventilação, também proporcionam bom uso da luz natural.

Na imagem acima: Edifício da Empresa de Desenvolvimento Urbano (EDU) em Medellin. Image © Alejandro Arango

Usando o método de simulações, conseguimos analisar o impacto e comportamento dos ventos no interior e exterior das edificações. Diversos fatores devem ser analisados como: topografia, construções ao redor do local, vegetação, pois interferem diretamente na passagem do ar.

As técnicas de ventilação natural aplicáveis em projetos são: ventilação cruzada, efeito chaminé, ventilação natural por indução e resfriamento evaporativo.

Ventilação Cruzada

Utiliza-se a técnica de ventilação cruzada com aberturas em regiões opostas ou adjacentes para permitir a entrada e saída do ar de forma constante. Essa estratégia renova o ar e diminui a temperatura interna, sendo indicada para zonas climáticas de temperaturas mais altas.

Para aplicar as aberturas em locais corretos, você deve conhecer a direção dos ventos predominantes no local. Sem esse estudo, um projeto pode ter ambientes com ventilação excessiva – podendo causar desconforto mecânico, ou até resfriamento desnecessário, assim como ambientes abafados e com pouca ventilação.

Imagem: Fórum da Construção

Efeito Chaminé

No efeito chaminé o ar frio (mais denso) exerce “pressão” sobre o ar quente, para que ele saia através de saídas de ar dispostas em diferentes níveis no centro do projeto, como torres, exaustores ou coberturas. Geralmente é utilizado em edifícios verticais e bem aproveitado em ambientes com pé direito alto.

Imagem: Projeteee

Ventilação Natural Induzida

Esse tipo de estratégia utiliza de sistemas de indução térmica que são utilizados para a condução do resfriamento do ar.  Para que haja esse efeito as aberturas devem ser posicionadas próximas ao solo, desta forma, o  ar fresco entra e através das aberturas próximas ao teto, o ar quente sai.

Resfriamento Evaporativo

O resfriamento evaporativo utiliza de espelhos d’água ou lagos posicionados na direção dos ventos predominantes e na frente dos edifícios. Dessa forma, o ar “carrega” parte da umidade, sendo essa uma estratégia muito interessante para climas secos, como é o caso de Brasília.

Imagem – WALLACE MARTINS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO- Ministério da Justiça fica na Esplanada dos Ministérios

Cuidados com a Ventilação Natural na Arquitetura

Para implementar essas estratégias o contexto local deve ser sempre observado. Abrir mais passagens de ar pode se tornar um problema quando há excesso de ruídos e poluição, características comuns em centros urbanos. Em certos locais, é necessário utilizar um sistema de filtragem do ar para conter os danos da poluição e restaurar a qualidade do ar.

Do ponto de vista acústico, as aberturas também podem ser um problema. Nesse caso, é importante realizar um estudo acústico para aplicar tratamentos que irão controlar a reverberação nos espaços.

Referências

Archdaily 

ProjeteEE

Nos siga nas redes sociais: Instagram ca2 linkedin ca2 facebook ca2 youtube ca2 pinterest ca2

Cadastre-se para Receber Nossos Conteúdos e Novidades.

Ao se inscrever você concorda com a nossa Política de Privacidade

* indicates required